Médico protocola na Câmara pedido de impeachment do prefeito São Bernardo

A Câmara Municipal de São Bernardo do Campo recebeu ontem (14) pedido de impeachment do prefeito Orlando Morando (PSDB) por falta de decoro do cargo ao utilizar palavras chuvas contra munícipe e interromper a execução de obras de combate a enchentes no Centro da cidade e, como consequência, durante chuva forte de 23 de novembro do ano passado, três pessoas morreram. O autor do pedido é o médico de Saúde da Família e primeiro suplente de vereador pelo PT Leandro Altrão Martines.

“Com fundamento na Lei Orgânica do município de São Bernardo do Campo, artigo 80, vem apresentar denúncia em face do prefeito municipal Orlando Morando Junior, haja vista a prática de infrações politico-administrativas como proceder de forma incompatível com a dignidade e o decoro do cargo e interromper  a execução de obra pública municipal, conforme as razões de fato e direito a seguir descritas, requerendo seja decretada a perda de seu cargo, bem como a inabilitação para exercer função pública, pelo prazo de oito anos”, fundamenta o médico em seu pedido.

 

De acordo com o médico, a cidade está abanada, com ruas, terrenos, praças e calçadas tomadas por mato e lixo. “O prefeito se dedicou mais na campanha eleitoral de sua esposa, do que para cuidar de nossa cidade. Saúde e educação sofrem com o corte de recursos e incompetência da gestão.”

E vai além, ao elencar denúncias de corrupção envolvendo integrantes de primeiro escalão do governo do tucano. “Assistimos a graves denúncias de corrupções que estão sendo apuradas pelo Ministério Público e Polícia Federal, como a venda de cargos e licenças ambientais, funcionários fantasmas e a máfia da merenda”, relata como fatos que embasaram o seu pedido de impeachment de Orlando Morando.

“Esses casos foram responsáveis pela saída de dois secretários, um teve o pedido de prisão decretado pela Justiça. É público e notório o comportamento agressivo do atual prefeito com munícipes que questionam seu governo. Matérias divulgadas pela imprensa mostram a perseguição de funcionários da Fundação ABC, concursados, sendo demitidos e a contratação de cabos eleitorais. Ao mesmo tempo foi amplamente noticiado o comportamento do prefeito usando palavras chulas contra munícipes, e a interrupção das obras de drenagem no centro da cidade. Certamente se não houvesse interrupção desta última, mortes seriam evitadas nessas enchentes.”

Fonte: http://abcdmaior.com.br