No dia 10 de outubro os jornais pagos com dinhheiro público e os prefeitos da Região alardearam aos quatro ventos a Assinatura de um TAC objetivando fortalecer o planejamento, a eficácia e a execução de um Programa de Compliance na Fundação do ABC e em todas as unidades gerenciadas, com propósito de promover maior fiscalização, legalidade, eficiência, moralidade e im­pessoalidade na gestão administrativa do ente fundacional, instituindo e promovendo a adequação das práticas da FUABC aos princípios constitucionais da administração pública.

Pois bem, a rádio CBN noticiou que os prefeitos da Região utilizam a Fundação do ABC para contratar cabos eleitorais, tudo isso irrigado com o dinheiro público, tudo isso já foge ao princípio da moralidade, então a questão que fica é quando serão demitidos.

E não acaba por aí, segundo a CBN, o prefeito de Santo André manteve o próprio tio na Fundação do ABC.

Orlando Morando então nem se fala, rei da marketagem falida, , teve três primas empregadas pela Fundação. Antes disso, já tinha promovido a cargo maior um outro primo, que inclusive foi assessor do PSDB na Assembleia quando Morando era deputado estadual . Funcionários da Fundação também fizeram campanha para a mulher dele, Carla, eleita deputada estadual. Ela admite que foi ajudada por eles, mas diz que não sabe se estavam em horário de expediente quando trabalharam pra ela.

A questão é: não foge a princípio impessoalidade ? Serão todos demitidos ?

A manutenção do que se está aí já mostra que o TAC parece ter sido para inglês ver.

Hoje recebi a informação de um amigo que a Fundação do ABC está se recusando a disponibilizar cópia do TAC. Assinou ontem o compromisso de cumprir os princípios constitucionais da administração Pública e já está se recusando a cumprir um deles, a Publicidade.