Recentemente foi proposto um termo de ajuste de conduta entre o MP e a Fundação do ABC, onde os prefeitos, Orlando Morando, Paulo Serra, José Auricchio, enchiam a boca para falar de compliance, e melhor gestão, artifícios usados para tentar colocar panos quentes nas reportagens da CBN que mostrou que os prefeitos usaram dinheiro público da Saúde por meio da Fundação ABC para contratar cabos eleitorais, eleger parentes e até contratar seus próprios parantes.

O termo de ajuste de conduta já era suspeito só pelo fato de ser anunciado como boa coisa para os prefeitos, quando não é boa coisas eles não alardeiam.

Agora hoje pela manhã o diário do Grande ABC noticia que o MP processa Atila, Donisete e Alaíde por por IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA por mal uso da FUABC,

O promotor crítica a politização da contratação de servidores no âmbito do contrato com a FUABC. Saikali (promotor ) indicou que admissões, de caráter político, eram feitas em desconformidade com o plano operacional contratado “com claro objetivo de superdimensionar salários e impor cargas horárias extraordinárias desnecessárias”.

Hoje pela manhã, a advogada Silmara Silva, mostrou que o MP processou os prefeitos de Mauá por conta da Fundação do ABC ” contratar sem seleção Pública, sem quaisquer critérios técnicos de qualificação ou correspondência às finalidadades da prestação de serviços de saúde, UNICAMENTE PARA APADRINHAR SEUS COPARTIDÁRIOS E CONCRETIZAR DEMAIS COLIZÕES POLÍTICAS.”

O promotor ainda complementa que as contratações da Fundação do ABC em Mauá ” caracterizou desvios das funções contratuais da gestão entregue à entidade do terceiro setor, materializando, por via transversa, A PRÁTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE CARGOS DE FORMA ILEGAIS”

O mais estranho é que a CBN noticiou casos ainda mais graves, a exemplo, todos os prefeitos do ABC – PSDB usaram a Fundação do ABC para contratar parentes, e até cabos eleitorais.

Em são Bernardo do Campo, foi ainda mais grave, a CBN noticiou ainda que Orlando Morando, usou funcionários da Fundação do ABC para eleger sua esposa, Carla Morando, ela alega não saber se eles estavam em horário de serviço. No minimo é possível serem funcionários Fantasmas e portanto Crime, não é nem improbidade.

Porém o que o MP fez com os prefeitos do PSDB ?

Como mostrou o jornalista Deniel Lima, apenas deu um cartãozinho amarelo em forma de TAC.

TAC para quem não conhece é a Abreviação de Termo de Ajuste de conduta e Termo de ajuste de Conduta é um acordo, normalmente rigoroso.

Já para os prefeitos foi um baita de um acordão , além de posarem de bons moços, o TAC ao que parece livrou a cara dos Três de uma ação civil pública por improbidade Administrativa.

Já os prefeitos de Mauá não tiveram a mesma sorte ou será que partido ? Afinal nenhum dos processados eram do PSDB, e olhe que usaram bem menos a Fundação ABC que os outros 3 do PSDB.