Supersalários de assessores de Orlando causaram prejuízo de milhares de reais aos cofres públicos.

Em 2018 Orlando aprovou um projeto que concedia gratificação de 21% ou 61% para seus assessores, na pratica, estes assessores passam a receber quase que o salário de um vereador.

A advogada Silmara Cristiane da Silva Pompollo, tomou conhecimento e entrou com ação popular em setembro de 2019 pedindo que o pagamento desta gratificação fosse suspensa por considerá-la ilegal, entretanto a juíza que já foi afastada por suspeitas de integrar o PCC, curiosamente ela apenas analisa outros processos.

Enquanto isso a gratificação está sendo paga.